Bem-vindo a Arxo

A ARXO é líder na fabricação de tanques jaquetados e uma empresa brasileira com mais tempo de mercado no segmento de tanques de combustíveis. São 52 anos de qualidade e segurança em tudo o que faz.

Licenciamento ambiental de posto de combustível: entenda como funciona!

Licenciamento ambiental de posto de combustível: entenda como funciona!

A atividade de um posto (revenda de combustíveis, troca de óleo, lavagem de veículos etc.) é considerada potencialmente poluidora em razão dos riscos que oferece para o meio ambiente. Por essa razão, a legislação exige o licenciamento ambiental de posto de combustível.

Assim, possíveis vazamentos nos tanques e tubulações de combustíveis, escoamento de efluentes da lavagem de veículos, resíduos e embalagens resultantes da troca de óleo lubrificante constituem as principais preocupações. Para sua construção, portanto, o posto de combustíveis deve proceder ao licenciamento ambiental.

Continue e saiba mais sobre essa responsabilidade do setor.

O que é o licenciamento ambiental de posto de combustível?

O licenciamento ambiental é o procedimento a que se submete o empresário quando pretende implantar um posto de combustíveis, com vistas a obter a anuência do órgão ambiental do Estado para a sua iniciativa. É, assim, um dos instrumentos da Política Nacional de Meio Ambiente, instituída pela Lei N. 6.938/1981.

O licenciamento ambiental para os postos de combustíveis é regulado pelo Conselho Nacional de Meio Ambiente (CONAMA) por meio de suas resoluções. Assim, a Resolução CONAMA N. 273, de 29 de novembro de 2000, posteriormente atualizada, define todo o processo para a obtenção da licença ambiental pelo posto.

Existem três licenças emitidas uma após a outra, que constituem o processo de licenciamento ambiental: a Licença Prévia, a Licença de Instalação e a Licença de Operação.

Qual a sua importância?

A importância do licenciamento ambiental reside na segurança que ela pretende garantir de que a operação do posto naquele local, isto é, a condução das atividades que pretende implantar não se constitui em dano ao meio ambiente. Para o proprietário, resulta a tranquilidade de estar regularmente instalado em consonância com as exigências da legislação ambiental.

Para conceder a licença, o órgão ambiental estadual analisa em detalhes todo o projeto determinando alterações quando encontra não conformidades com a legislação aplicada. Posteriormente, analisa as instalações autorizadas e sua concordância com o projeto aprovado. Finalmente, o posto é autorizado a funcionar com a certeza de que todos os riscos foram minimizados.

O que fazer para licenciar o seu posto?

Você pode conduzir por sua própria conta todo o processo e as respectivas medidas envolvidas com o licenciamento ambiental, uma vez que não existe a obrigatoriedade de contratação de um profissional. O que a legislação exige é um responsável técnico habilitado.

No entanto, os trâmites com os órgãos ambientais e a prefeitura do município são mais agilmente realizados por profissionais experientes e habilitados nessa área. Detalhes e aspectos importantes dos procedimentos exigidos, dessa forma, não passam despercebidos e ganha-se um tempo precioso. É recomendável, portanto, a contratação de uma consultoria especializada.

O órgão ambiental conduzirá todo o processo apresentando as exigências que devem ser atendidas. Dessa forma, estudos e relatórios de impacto ambiental podem ser requisitados, plantas e memoriais descritivos, os equipamentos que serão instalados, a destinação dos efluentes e demais resíduos gerados, entre tantas outras.

Não é um processo rápido. Porém, na medida em que a documentação requerida vai sendo providenciada, assim como as respectivas providências nas instalações, o processo avança nas suas três fases, até que tudo concluído, é expedida a licença de operação. Esta última das três licenças permite o efetivo funcionamento do posto na conformidade do que foi projetado e construído.

Eis, portanto, a maratona do licenciamento ambiental de posto de combustível. No entanto, não basta licenciar, mas considerar também a gestão ambiental do posto no dia a dia.

Você já passou pela experiência de conduzir um processo como esse? Tem alguma dúvida ou sugestão para compartilhar? Deixe aqui suas impressões.

 

1 comentário até agora

Laura Tafner Publicado em11:04 - 3 de maio de 2018

Muito bom o texto. As fases do licenciamento ambiental são muito bem descritas pelo autor. Obrigado pela cooperação com os futuros empresários do ramo dos postos de egasolina do maior país da América Latina.

Deixe uma resposta